Doenças do Coração – Como a Massagem Pode Ajudar

coracao_massagem

As doenças do coração estão entre as causas mais recorrentes de mortes prematuras no mundo ocidental, e a massagem tem um importante papel no tratamento de pacientes que sofrem destes males, desde o início até a recuperação.

É sabido que o corpo humano está em constante estado de alerta e excitação, recebendo mensagens para acelerar ou desacelerar o sistema nervoso corporal.

Quando a aceleração é baixa, mudanças químicas são lançadas através do corpo, ativando os mecanismos de excitação. Assim como o contrário.

O percurso de excitação funciona muito bem quando há um equilíbrio no organismo. Ou seja, quando há o equilíbrio entre os estados de esforços, descanso e sono, mantendo a saúde balanceada.

Assim nós, seres humanos, precisamos manter o equilíbrio. Precisamos que nossos esforços sejam reconhecidos e que valham a pena.

Portanto, se não há o equilíbrio, o nosso sistema interno começa a entrar em desordem. A imunidade para combater as doenças é reduzida e as funções corporais são degradadas.

Homeostase, que significa o sistema de auto regulação do corpo, não conseguirá mais gerenciar e manter funcionando as atividades internas no organismo.

Será necessário que tal sistema seja restabelecido e as funções primárias recriadas. Aqui é onde a massagem possui uma tarefa primordial.

Uma boa e adequada massagem é fundamental para reduzir os estados de excitação, trazendo a calma e fornecendo a oportunidade para reparação dos processos que envolvem gastos excessivos de energia.

A massagem pode ajudar a amenizar a dor insuportável de anginas, por exemplo, e aliviar o sentimento de isolamento que acompanha tal condição.

Porém algumas pessoas podem querer não ser tocadas durante um surto cardíaco, já outras mostram-se mais calmas quando tocadas em seus ombros e testas.

Como exemplo, uma massagem nas mãos pode auxiliar no desvio da atenção da dor e ajudar a aliviar a tensão.

Nós aplicamos, com frequência, massagens em pacientes cardíacos internados em hospitais.

Durante a recuperação é crucial que o pacientes fiquem relaxados, calmos e que suas pressões arteriais se mantenham mais baixas, para minimizar as chances de um novo ataque cardíaco.

A maioria dos pacientes estão, de fato, nervosos e tensos e muitos deles não sabem o que fazer para relaxar, mesmo que exaustos.

A massagem os recoloca em um estado profundo de relaxamento, reduzindo a pressão e ajudando-os a dormir.

O que a experiência e a teoria mostram é que, nos casos de doenças cardíacas, a massagem permite, facilita a aplicação e continuidade de outros tratamentos de forma mais harmoniosa e humana, eliminando os sentimentos de irritação e inquietação do paciente.

Em muitos casos, até mesmo é verificado um aumento do apetite, da felicidade e espiritualidade do paciente.

Certamente que, para aplicar as técnicas terapêuticas e a massagem em quem sofreu uma doença cardíaca ou que acabou de sair de uma cirurgia, é necessário uma supervisão ou permissão médica.

Um plano de tratamento deve ser elaborado, juntamente com o protocolo médico e clínico.

As massagens, nesses casos, costumam ser mais amenas e leves; garantindo que o paciente esteja, de fato, curtindo todo o procedimento.

Todos so movimentos devem ser extremamente gentis e suaves, com carícias massageando em volta do coração, deslizando para os lados e voltando até centro do peito.

Após as cirurgias cardíacas, massagens na região peitoral devem ser evitadas, em um primeiro momento.

Nestes casos, uma massagem no corpo inteiro, concentrando nas regiões de maiores tensões, geralmente nas costas, ombros, cabeça, pés e abdome, é mais recomendável.

Serve apenas para relaxar e acalmar o paciente, então é válido fazer o que ele julgar mais relaxante e agradável.

Além da massagem aplicada em pacientes, é importante ensinar aos seus companheiros e companheiras algumas técnicas para aplicação posterior.

Às vezes, não é possível a continuidade do tratamento alternativo e complementar com a massagem fora do hospital, mas se seus parceiros(as) possuem algum conhecimento, isso será extremamente benéfico.

Geralmente notamos, entretanto, que os melhores parceiros são aqueles que também precisam de uma boa e revitalizante massagem.

Eles costumam estar bem tensos e nervosos depois de todo o tratamento, tentando conviver com a ansiedade provocada pela doença de seus pares, com a falta de atenção, já que todo o cuidado (com razão) está direcionado para o paciente.

E se essa condição persiste por meses e anos, esses parceiros(as) podem ficar exaustos, deprimidos e até desenvolver outras doenças também.

Assim, ensinando algumas técnicas de massagem para ambos, todos se beneficiam.

A massagem é uma forma fácil e segura de se fazer algum agrado e mostrar cuidado recíproco.

A longo prazo, as consequências são maravilhosas como aumento da auto estima, incremento da imunidade, estresse reduzido e outros benefícios que certamente ajudarão a continuar suas vidas de uma forma mais saudável.

Compartilhe este conteúdo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *